A Estrada 47 é o grande vencedor do VII Festival de Cinema da Lapa

Filme dirigido por Vicente Ferraz conquistou 7 dos 12 prêmios oficiais do festival realizado no Paraná

 

Na noite deste sábado, 29 de novembro, foi realizada a cerimônia de premiação do VII Festival de Cinema da Lapa, realizado na Lapa. O grande vencedor da Mostra Competitiva do festival foi o filme A Estrada 47, de Vicente Ferraz, que conquistou sete prêmios.

A obra, que retrata a história de uma esquadra de caçadores de minas da FEB (Força Expedicionária Brasileira) durante a Segunda Guerra Mundial, superou os filmes O Menino no Espelho, Isolados e Não Pare na Pista – A Melhor História de Paulo Coelho, e conquistou o prêmio de Melhor Filme.

Além do principal prêmio da noite, A Estrada 47 venceu também nas categorias Melhor Trilha Sonora (Luiz Avellar), Melhor Montagem (Mair Tavares), Melhor Fotografia (Carlos Arango de Montis), Melhor Ator Coadjuvante (Francisco Gaspar), Melhor Roteiro (Vicente Ferraz) e Melhor Diretor (Vicente Ferraz). “Estamos muito orgulhosos pelo reconhecimento ao nosso longa e pela oportunidade de trazer o filme ao Festival. É cada vez mais difícil fazer um filme circular no Brasil. Por isso, a importância desse prêmio é muito grande”, disse Vicente Ferraz.

A produtora do filme “A Estrada 47”, Izabel Martinez disse estar muito feliz com mais uma premiação do drama. “Cada festival que passamos é mais um conhecimento que adquirimos. A Lapa, uma cidade tão linda, vai ficar para sempre como lembrança”, destaca.

Outros destaques da noite ficaram por conta dos prêmios de Melhor Atriz e Melhor Ator, conquistados, respectivamente, por Regiane Alves (Isolados) e Julio Andrade (Não Pare na Pista – A Melhor História de Paulo Coelho). Da categoria Melhor Atriz Coadjuvante veio uma das grandes surpresas da noite. A jovem Giovana Rispoli, de 11 anos, foi premiada pela sua brilhante atuação na obra O Menino no Espelho, de Guilherme Fiúza Azenha.

HOMENAGENS

O Festival também premiou o ator Thogun, que integra o elenco de A Estrada 47, com o Prêmio Especial do Júri e entregou o Diploma de Mérito para as atrizes paranaenses Polliana Aleixo e Adriana Birolli por suas carreiras no teatro e na televisão.

TROFÉU TROPEIRO

O histórico e lotado Theatro São João lembrava algum tempo remoto, com crianças dependuradas nas sacadas, senhorinhas muito perfumadas e jovens flertando com moças acompanhadas dos pais. Nesse cenário, relacionado a uma certa época da inocência, o ator Guilherme Weber recebeu, na noite de quinta-feira, 27 de novembro, o Troféu Tropeiro, destinado a personalidades com trajetória marcante no cenário artístico paranaense.

A condecoração, entregue em outros anos a nomes do quilate de Ary Fontoura e Paulo Betti, reconheceu uma carreira intensa, que já tem duas décadas.

“É até difícil explicar a emoção de retornar à Lapa para receber esse prêmio. Parece que viajamos o mundo, mas a felicidade de ser reconhecido é maior em nossa casa”, afirmou o ator.

Emocionado, ele dedicou o prêmio à mãe, Edna Weber, que morreu recentemente, e tinha uma relação muito forte com o festival. “Ela ficaria muito feliz de me ver chegar aonde cheguei.”

A vida de Weber não anda fácil. Além de ter estreado recentemente na direção com o filme Deserto, ele está em turnê teatral comemorativa aos 60 anos de carreira de Eva Wilma. Também está prestes a iniciar as filmagens do aguardado Meu Amigo Hindu, novo filme de Hector Babenco, e em gravação de nova temporada do seriado O Negócio, da HBO. “Nem sei como consegui vir hoje. A vida está tão intensa que vai chegar um momento em que virarei um holograma”, brincou Weber.

 

LAPA

Durante o Festival, foram exibidos gratuitamente mais de 50 filmes ao público, com exibições de curtas, documentários, filmes infantis e mostras especiais. Entre as atrações, estava também a mostra “Casos e Causos”, com filmes produzidos pela RPCTV.

 A coordenadora do Festival, Maria Inês Borges da Silveira (presidente do Instituto Histórico e Cultural da Lapa), destacou a importância do Festival de Cinema para a Lapa. “O festival da Lapa tem o objetivo de incentivar, levar informações sobre a cultura, arte e história da cidade. Além disso, o Festival traz atrações que atraem turistas para conhecer a nossa linda cidade”, disse.

O evento foi organizado pelo Instituto Histórico e Cultural da Lapa e apoiado pela Prefeitura Municipal da Lapa, SPA Lapinha, Faculdade de Artes do Paraná e Instituto Borges da Silveira, com patrocínio da Itaipu Binacional, Fecomércio, Caminhos do Paraná, Copel e Metalúrgica Bosch.

 

PREMIADOS:

Confira a lista completa de premiados no VII Festival de Cinema da Lapa:

– Prêmio Especial do Júri: Thogun Teixeira (A Estrada 47)

– Melhor Trilha Sonora: Luiz Avellar (A Estrada 47)

– Melhor Som: Jorge Saldanha (Isolados)

– Melhor Direção de Arte: Oswaldo Lioi (O Menino no Espelho)

– Melhor Montagem: Mair Tavares (A Estrada 47)

– Melhor Fotografia: Carlos Arango de Montis (A Estrada 47)

– Melhor Ator Coadjuvante: Francisco Gaspar (A Estrada 47)

– Melhor Atriz Coadjuvante: Giovanna Rispoli (O Menino no Espelho)

– Melhor Atriz: Regiane Alves (Isolados)

– Melhor Ator: Julio Andrade (Não Pare na Pista)

– Melhor Roteiro: Vicente Ferraz (A Estrada 47)

– Melhor Diretor: Vicente Ferraz (A Estrada 47)

– Melhor Filme: A Estrada 47