O lixo que não é meu… Não me diz respeito?

Exercer a cidadania vai além de reclamar direitos em redes sociais, órgãos públicos ou Ministério Público. Ser cidadão significa, antes de mais nada, agir de forma correta.

Vivemos em uma comunidade, por isso todos somos responsáveis por ela, trabalhando para que tudo esteja em harmonia e tenhamos qualidade de vida.

Vivemos em uma época em que todos clamam por seus direitos, tanto nas redes sociais como em órgãos públicos, através de abaixo-assinados ou mesmo procurando o Ministério Público.

Mas, precisamos parar por um instante e refletir: não basta só reclamar, precisamos agir e tomar atitudes. Pode ser de forma mínima, mas eficiente, como cuidar do espaço que nos diz respeito. Com certeza, com estas atitudes, os problemas da sociedade, em sua maioria, estariam resolvidos.

A redação da Tribuna recebeu uma reclamação, na última semana, de um empresário local, a respeito do lixo (que não era da sua empresa). As sacolas estavam espalhadas em frente à sua loja. De quem seria? Não sabemos e também não era o caso averiguar quem seria o responsável.

Mas, fica aí um caso a se pensar: por que o responsável não colocou o lixo na lixeira em horário próximo ao que o caminhão da coleta passa no local? Na rua em que aconteceu a situação, há muitas empresas estabelecidas há vários anos – com certeza já sabem o horário. Ou quem deixou o lixo por ali é alguém que não possui comércio no local e apenas foi até lá para “despejar” o indesejável?

Pequenas atitudes fazem toda a diferença. Neste caso, cidadãos conscientes poderiam deixar a cidade mais limpa – respeitando-se todos os moradores. Os  clientes e os turistas que visitam o município, que impressões levarão do povo lapeano?

Com atitudes desastrosas como a registrada, não adianta reclamar dos órgãos públicos, por não limparem as calçadas (que, por lei, é dever do proprietário do imóvel) e as ruas, se os próprios cidadãos não fazem a sua parte.

Cuide melhor da cidade e sinta orgulho de tudo o que é seu! Cada um é responsável por seus atos! Pense nisto!