Comerciante recebe bilhete safado  

Segundo o motorista, esta não é a primeira vez que recebe o recado maroto.
Segundo o motorista, esta não é a primeira vez que recebe o recado maroto.
Segundo o motorista, esta não é a primeira vez que recebe o recado maroto.

Recadinho anônimo irritou proprietário do veículo, que disse ter estacionado em local público. Até quando a população terá que esperar ação da Prefeitura em relação à Municipalização de Trânsito?

 

Quando a Tribuna Regional fala que é extremamente urgente que o Poder Público Municipal coloque em prática a Municipalização de Trânsito, é porque não é brincadeira.

Não é necessário ter conhecimentos técnicos, ser excelente observador ou ter muito tempo livre para perceber a grande quantidade de veículos que a Lapa possui atualmente. Falta vaga de estacionamento no município e há vários problemas de educação no e para o trânsito.

Recentemente, a Tribuna Regional verificou um caso inusitado, que comprova tudo o que vem afirmando há vários meses sobre a urgência e grande relevância da Municipalização do Trânsito.

A inércia do Poder Público tem gerado consequências para os próprios moradores. Um comerciante publicou no Facebook o que ocorreu com ele nos últimos dias.

Ao estacionar seu veículo em via pública, acabou recebendo um recadinho de outro comerciante da região. O bilhete foi deixado no carro, com o seguinte conteúdo: “Aqui também é comércio. Favor estacionar na frente do teu comércio. Nós também precisamos de vaga para clientes”.

No entanto, segundo a pessoa que recebeu o bilhete, o carro estava estacionado em local público. Assim, a frente do estabelecimento não pode ser considerada da empresa ou do empresário. Desta maneira, qualquer pessoa pode estacionar em qualquer local onde existam vagas (não sendo elas destinadas a uso especial, é claro).

Resta saber quando o Poder Público irá realmente resolver a situação. Serão necessárias quantas reuniões para colocar em prática o que já vem sendo pleiteado há pelo menos quatro anos?

O “custo social” pode ser elevado, pois haverá muitas reclamações, de todos os lados. Mas, é tema espinhoso que necessita ser abordado. E resolvido. Resta saber se, até o final de 2016, os responsáveis terão coragem de buscar solução para a população na questão do trânsito.