Moradores fecharam Des. Otávio Ferreira do Amaral

DSC_0024

Motivação do protesto é pedido de providências quanto à situação da via. Após quase dois anos de abaixo-assinado, Prefeitura entrega orçamento de asfalto para a região e recomenda moradores a pedirem auxílio a deputado de sua confiança.

 

Na manhã de segunda-feira, 25 de abril, moradores da Rua Desembargador Otávio Ferreira do Amaral, nas proximidades da Rua Vitor do Amaral, realizaram protesto, impedindo o tráfego de veículos no local. A região do bloqueio era próxima à esquina do Colégio Polivalente.

O que motivou a ocorrência do protesto foi a falta de respostas por parte da Prefeitura da Lapa em relação à situação da via, que teve tráfego aumentado de veículos nos últimos tempos, causando deterioração da rua e, ainda, problemas aos moradores – como muita poeira em dias secos (prejudicando a saúde dos que ali vivem) e muito barro em dias chuvosos.

Os moradores já haviam coletado assinaturas para um abaixo-assinado, feito em outubro de 2014, que foi levado ao Vereador Dango Leonardi. Diante da situação, em novembro do mesmo ano, Dango encaminhou à Prefeitura uma indicação (nº 103/2014) pedindo providências quanto ao tema, para que se colocasse fresado asfáltico entre as ruas Desembargador Otávio Ferreira do Amaral e Otávio José Kuss.

No abaixo-assinado, os moradores citaram que a Lei Orgânica Municipal prevê a responsabilidade e obrigação do município quanto à manutenção e melhorias da rede viária local.

 

RESPOSTA

Ocorre que, desde novembro de 2014 até o presente momento, a Prefeitura da Lapa não tomou nenhuma atitude efetiva para que o problema seja resolvido. Após o fechamento da rua, no dia 25 de abril deste ano, no entanto, o Poder Executivo Municipal encaminhou aos moradores o projeto, o orçamento e o memorial descritivo para a pavimentação da Rua Octávio Ferreira do Amaral – entre o trecho das ruas Victor do Amaral e João Cândido Ferreira, e Rua Victor Amaral.

Segundo a carta enviada pela Prefeitura aos moradores, “tal projeto pode ser encaminhado a qualquer deputado (…) para que o mesmo faça uma Emenda Parlamentar em busca de recursos financeiros”.

O orçamento feito pela Prefeitura, para a pavimentação da Rua Octávio Ferreira do Amaral, entre as ruas Victor Ferreira do Amaral e João Cândido Ferreira, numa extensão de 170m, terá custo de quase R$ 210 mil.

Já para a pavimentação da Rua Victor do Amaral, no trecho entre a Octávio José Kuss e Av. Caetano Munhoz da Rocha, numa extensão de 86m, o orçamento prevê um custo de pouco mais de R$ 61 mil.

 

QUESTIONAMENTOS

Diante de tais fatos, há várias dúvidas e questionamentos que surgem. A primeira delas é a necessidade, já bastante citada pela Tribuna Regional, de a Prefeitura tomar providências quanto a reorganização do trânsito no município. A Rua Desembargador Otávio Ferreira do Amaral, que passa atrás do Supermercado Condor, seria uma excelente opção de tráfego para os veículos que desejam desviar do movimento da Avenida Caetano Munhoz da Rocha e do sinaleiro ali existente. Assim como também é uma boa opção de tráfego para quem deseja se dirigir à Avenida Aloísio Leoni. Muitos motoristas, sabendo dessa opção de trajeto, passaram a utilizar a via, o que aumentou o desconforto aos moradores e contribuiu para a deteriorização do trecho, que já não era bom – rua sem pavimentação, com vários buracos.

A Prefeitura (gestão 2013-2016) só começou, efetivamente, a tomar atitudes em relação à municipalização do trânsito, em 2016. Apesar da evidente necessidade e urgência de atitudes em relação ao tema.

Outro ponto a ser questionado e debatido: os moradores haviam pedido providências já em 2014, mas não obtiveram respostas oficiais. Estas respostas, que não são a solução do caso, só surgiram após a atitude drástica do fechamento da via, em 2016. O projeto, o orçamento e o memorial descritivo não poderiam ter sido feitos lá em 2014? Tal projeto não poderia ter sido encaminhado a algum deputado, pela própria Prefeitura, já naquela época?

Afinal, o interesse é, sim, dos moradores. Mas, também e principalmente de toda a população lapeana, que deseja que a qualidade do tráfego no município seja melhorada. Sem esquecer da responsabilidade da Prefeitura em relação ao tema, bem citado pelos moradores em seu abaixo-assinado: a Lei Orgânica Municipal prevê a responsabilidade e obrigação do município quanto à manutenção e melhorias da rede viária local (artigo 34, inciso II, da citada lei).

Diante de tais fatos, o que a população espera é mais atitude do Poder Executivo, buscando formas de resolver problemas não individuais, mas que afetam toda a comunidade.