Arthur Vidal afirma que dará mais agilidade aos Projetos na Câmara

O jovem vereador conta que com economia na Câmara, será possível devolver o dinheiro para o município contratar mais médicos.

Em entrevista à Tribuna Regional, Presidente da Casa de Leis para o biênio 2017/2018 contou quais serão suas ações no cargo.

O vereador Arthur Bastian Vidal foi eleito vereador da Lapa pela segunda vez nas eleições de 2016. Com 1.520 votos conquistados, foi o segundo candidato mais votado. No pleito, ele ultrapassou a quantidade de eleitores de sua primeira votação – em 2012, 1.410 pessoas confiaram em seu nome para ser representante da população no Poder Legislativo Municipal. Naquele ano, foi o terceiro vereador mais votado da Lapa.
Com 35 anos, Arthur é filiado ao PMDB e ocupará pela segunda vez, também, o cargo de Presidente da Câmara de Vereadores da Lapa. Ele já havia atuado à frente da Casa de Leis no ano de 2015, quando foi eleito em uma disputa acirrada.
Arthur permanecerá no cargo por dois anos. A Tribuna Regional conversou com o vereador nesta semana. Confira a entrevista.

Tribuna Regional: Essa é a sua segunda vez como Presidente da Câmara. Como avalia, com base em sua experiência, esta segunda oportunidade à frente à casa de Leis?
Arthur Vidal: A minha primeira gestão como Presidente foi um pouco diferente, pois eu era considerado, pela outra base, oposição. Agora sou da base aliado do Prefeito. A agilidade será o nosso foco, pois com isso quem ganha é o povo. E na minha primeira gestão, vim com muitas ideias. Só que, infelizmente, tive um tempo curto, de um ano, e não consegui concretizar tudo. Agora poderei colocar em prática. Já tinha o mesmo foco, de economizar, por exemplo, com combustível, telefonia… Fizemos um levantamento, será possível diminuir custos em 50%.

TR: O que o motivou a buscar a Presidência da Câmara pela segunda vez?
AV: Na política, a partir do momento em que você não fecha portas e tem bons contatos, as coisas vão acontecendo. Agradeço aos vereadores que me apoiaram, que confiaram em mim para assumir o cargo.

TR: Quais serão suas principais ações?
AV: A questão da economia será o foco principal. A pretensão é de, até o final de ano, reduzir ainda mais os custos, além dos 50% já previstos. Isso sem prejuízos à Câmara, ao andamento das atividades do Legislativo, dos vereadores. E esse valor de economias será devolvido ao município, pois o dinheiro é do cidadão. Esse foi um acordo entre todos os vereadores e, em conversa com a Prefeitura, decidiu-se destinar os valores para a Saúde do município. São quase R$ 120 mil por mês que serão usados para contratar mais médicos. Esse valor será repassado mensalmente.
Também colocarei em prática a votação eletrônica, com um painel no plenário, dando mais transparência às ações. Isso irá aparecer no site da Câmara e no painel.

TR: Hoje você faz parte da base aliada do Prefeito. Como vê esse relacionamento, sendo Presidente da Câmara?
AV: Como Presidente posso atuar pedindo aos vereadores mais agilidade na votação dos projetos. É claro que há a necessidade de análise da matéria. Mas o que pretendo é que as coisas aconteçam com maior rapidez.

TR: Diárias e Cargos em Comissão. Como vê a necessidade de cada um deles:
AV: Sobre as diárias, as que utilizei, justifiquei todas as vezes em que precisei. Acredito que, se o vereador está buscando melhorias para o município, tem que usar. Para muitas coisas, conseguir verbas, é necessário ir até os representantes, como Deputados, por exemplo. Então será preciso usar as diárias.
Quanto aos Cargos em Comissão, de responsabilidade da Presidência, há apenas quatro cargos na Câmara. Já os demais, de Assessor de Vereador, são nove, um para cada representante. Esse cargo, no entanto, é de livre nomeação de cada vereador. Então, se o vereador não quiser nomear assessor, não precisa nomear.
Então acredito que os de responsabilidade do Presidente, não são em quantidade excessiva.

TR: Você é um vereador jovem. Tem 35 anos, está em seu segundo mandato e como Presidente pela segunda vez. Quais são suas pretensões políticas futuras?
AV: Tenho pretensões de buscar outros cargos políticos. Mas, o meu futuro na política depende dos apoios que receberei, tanto dos outros vereadores, como do partido político, de deputados… Enfim, tudo depende da conversa com os demais, não fecho as portas para outras oportunidades.