UAL encanta público com espetáculos no Theatro São João

Cena de Pepa Ruiz quando chocou a sociedade lapeana na época, porque mostrou parte da perna (a canela)em uma apresentação no Theatro São João.

Com muita união, garra e determinação, grupos culturais da Lapa realizaram duas apresentações abordando a formação da cidade.

Nas comemorações das festividades do aniversário de 248 anos da Lapa, foram realizadas, no Theatro João, duas apresentações organizadas pela União dos Artistas Lapeanos (UAL). Nos dias 11 e 15 de junho, o Theatro São João ficou lotado com as apresentações do espetáculo “Lapa, A História de Três Gerações”, que retratou a história de superação de três gerações de uma família, que não mediu esforços e ajudou na formação do município. Com boas pitadas de humor, poesia e superação, a história remeteu o público ao passado da Lapa, desde os primeiros povoados e construções até chegar numa fase de consolidação da cidade. A apresentação da peça teatral foi um espetáculo alegre que instigou o público a uma busca cada vez maior sobre a história do município, proporcionando boas reflexões aos expectadores.

O espetáculo foi uma produção da União dos Artistas Lapeanos (UAL), através dos grupos Animathéia, Mistura Lapeana, Grupo de Dança Laços da Tradição, Studio Isabel Pelegrini, voluntários da comunidade. E contou ainda com a colaboração da artista Nadia Burda. O espetáculo foi inspirado no livro “Sou Josefa, Sou Joana, Sou Rita…”, de autoria de Betty Burda.

 UAL

Com muita união, garra e determinação os representantes da UAL não mediram esforços para produzir mais um belo espetáculo, depois do sucesso produzido pelo grupo no Cerco da Lapa com a apresentação “Lágrimas de uma Guerra”. Agora, os participantes emocionaram o público com a História de Três Gerações.

“O verdadeiro espetáculo é aquele que infelizmente poucos têm a oportunidade de ver… O espetáculo do esforço, da superação, da dedicação e do carinho. A UAL é formada por artistas, mas antes destes artistas estão as pessoas, gente do povo, que sentiu a necessidade de fazer algo a mais pela comunidade em que vive e abdica, a cada novo trabalho, das horas de descanso ou de lazer em prol de uma causa. Não somos profissionais e nem almejamos ser, mas nosso trabalho vem do coração de cada um e isso brota aos olhos de nossos artistas (isso é visível ao público) e este é o diferencial que faz da UAL e dos grupos integrantes verdadeiros profissionais, apaixonados pelo que fazem e que em nenhum momento deixam a desejar em suas produções. A esta família os nossos parabéns”, declararam os representantes da União dos Artistas Lapeanos.

O povo da Lapa tem muito talento, em todos os aspectos, seja na esfera cultural, na área esportiva ou social. A UAL, como um grupo de artistas amadores, faz trabalhos dignos de profissionais, não medindo esforços para levar a arte do povo para o povo.