O interior gerando renda

No último mês visitamos a região do Piripau até Rio dos Patos, ou seja, toda área compreendida entre a cordilheira do Monge e a rodovia Lapa – Campo do Tenente. Nesta edição, pretendíamos visitar toda a região compreendia entre as duas rodovias – a rodovia Lapa – Campo do Tenente e Lapa – Antônio Olinto, formando quase um triângulo entre Passa Dois, bairro Olaria na Lapa e Faxinal dos Pretos.

Ocorre que nos surpreendemos com a quantia de destaques que esta região oferece, e então resolvemos deixar toda a comunidade do Passa Dois para uma outra edição, iniciando nossa viagem no KM 202, que para quem não conhece, é o Distrito Industrial da Lapa, onde se encontra o Parque de Exposições. Como já explicamos, faremos uma descrição do percurso aqui, e os pontos de destaque terão mais detalhes ao lado.

O primeiro destaque e ponto de partida, claro, é a fazenda experimental do IAPAR, que fica nos fundos do Parque de Exposições.  A partir dali seguimos para a Lapa, mas antes do trevo acessamos o bairro Olaria e logo em seguida chegamos à rodovia Lapa – Campo do Tenente. O acesso à comunidade do Marafigo se dá já na primeira curva fechada, e é bem fácil encontrar devido à presença da Schefer Madeiras, e já de começo a comunidade demonstra um principio de urbanização. De fato, muitas pessoas tem optado por adquirir pequenos lotes nesta comunidade, pois é próxima da cidade e tem toda a tranquilidade da vida rural. É bem provável que se torne zona urbana em um futuro próximo.

Nesta comunidade encontramos alguns estabelecimentos comerciais, como a já citada Schefer Madeiras, mas também encontramos o Pesque e Pague Mildemberger, que se localiza numa posição bastante próxima do Bairro Olaria. Afastando-se mais, tomando a estrada principal chegamos à Igreja da comunidade. Neste ponto, temos um entroncamento. Seguindo em direção oeste encontramos a propriedade do Sr. Helio Hoffmann e sua produção de cogumelos champignon.

Retornando à rodovia, seguimos até a entrada da Colônia Municipal. Nesta estrada temos uma sequência de destaques. O primeiro é a produção de pólen do Sr. Wanderlei. Logo em seguida encontramos o Hotel Fazenda Vovó Maria. Seguindo pela estrada principal, em menos de 500 metros encontramos o Sitio Soeli, com a simpatia do casal Edson e Soeli, e claro, os morangos de sua produção.

Pouco à frente a estrada se bifurca. Tomando o caminho da esquerda, em menos de 300 metros chegamos ao acesso à Naturalat. Se seguirmos à direita, em direção ao Faxinal dos Pretos, encontraremos a propriedade do casal Diley e Flavio Lechinski.

É importante frisar que todo esse caminho percorrido poderia ter incluído mais destaques, principalmente na produção de hortaliças, mas nem todos foram encontrados em nossa visita.

IAPAR – ESTAÇÃO  EXPERIMENTAL DA  LAPA

Criada em 1985, tem como objetivo a geração de tecnologias agropecuária social e ecologicamente adaptadas, contribuição para atividades integradas de desenvolvimento rural e  atuar como centro irradiador de processos e informações para os produtores.

Localizada atrás do Parque de Exposições da Lapa, possui uma área de 137,85 ha, e um quadro de pessoal composto por um engenheiro agrônomo administrador da Estação, Clóvis Hoffmann, um técnico agrícola, um administrativo, dois tratoristas, um técnico de manutenção, um coletor de dados meteorológicos, doze trabalhadores de campo (sendo a maioria pessoas do regime prisional semi-aberto), além de um servidor terceirizado no serviço de limpeza e estagiários de veterinária e agronomia. Estas pessoas, sob orientação de pesquisadores e técnicos a eles ligados, são responsáveis pela condução dos seguintes experimentos:

1) Pomar de Frutíferas de Clima Temperado

2) Projetos Amora e Mirtilo

3) Projeto Mandioca – Melhoramento Genético da Mandioca.

4) Cultura da Batata – Seleção de clones para produção.

5) Produção de Minitubérculos de Batata Semente Pré- Básica

6) Bubalinocultura – Sistema de Produção de Leite de Búfala em Base Agroecológica.

7) Forragicultura – Avaliação de Milho cv. Iapar 114 com Inoculante Submetido a Diferentes Doses de Cama de Frango

8) Forragicultura – Desempenho de Cultivares de Hemartria Adubadas com Diferentes Doses de Uréia ou Consociadas com Amendoim Forrageiro.

9) Forragicultura – Coleção de Plantas Forrageiras da Estação Experimental da Lapa

10) Projeto Pera – Multiplicação, Plantio e Condução de Germoplasmas Selecionados.

Achou algum dos projetos interessante? Então ligue no IAPAR, fale com o Clóvis e agende uma visita! Fone 3622-1457

Pesque e Pague Mildemberguer

Fundado em 2014, funciona de terça a domingo, sempre a partir das 13 horas. Hoje é administrado pelo sr. Lauro Mildemberguer, seu filho João Maria Mildemberguer, e seu neto Marlon Vidal. Tem disponível para pesca tilápia, bagre, lambari, carpa e bagre africano (que segundo o proprietário, chega a pesar 6 kg e dá show quando é capturado).

O local possui ainda 2 campos de futebol, onde com bastante frequência ocorrem campeonatos – inclusive com times femininos. Também oferece aos visitantes a piscina adulto e piscina infantil, lanchonete com cardápio variado. Já possui uma boa infraestrutura, contando inclusive com banheiro para cadeirante.

Coguzella – Casal Hélio e Juliana Hoffmann

O sr. Hélio sofreu uma espécie de viés do destino. Como sua propriedade é pequena, decidiu se agregar à uma grande companhia para produção de frangos. Recebeu inicialmente carta branca, e com recursos próprios, iniciou serviços de terraplanagem. Depois de um bom valor gasto, recebeu informação que não poderia implantar o projeto devido a localização de sua propriedade.

Com um bom dinheiro já investido, procurou alternativas para produção com o que já havia gasto, e um colega seu sugeriu investimento em produção de cogumelos.

Isso foi em 2008, e após vários anos de esforço e dificuldades, conseguiu estabelecer a marca de seu produto – Coguzella – em Curitiba, para onde escoa toda sua produção, que gira em torno de 1.000 kg de cogumelos champignon por mês.

Uma pequena parte da produção é vendida no local, já embalada na forma de conserva, ou se o cliente desejar, também o produto in natura. Quem desejar adquirir o produto, basta entrar em contato pelos fones 9 9635-2280 ou 9 9904-0655.

       

Sítio Rionei Rai

Para visitar o sr. Wanderlei vá preparado para uma boa prosa. Não é a toa que sua propriedade está inscrita no circuito de turismo rural, pois além do casario antigo e a boa conversa, a propriedade se destaca na produção de pólen.

Trabalhando com abelhas desde 1984 e com pólen desde 1988, o Sr. Wanderlei possui hoje cerca de 400 colmeias de abelhas, das quais extrai, anualmente, 1500 kg de pólen e cerca de 3 toneladas de mel.

A produção de mel é comercializada em mercados da Lapa e Curitiba, e o pólen vendido parcialmente em Curitiba e o restante através da internet.

Hotel Fazenda Vovó Maria

Alguns podem estranhar o nome “Vovó Maria”, afinal, na Lapa temos como referencia o “Vovó Naná”. Trata-se do mesmo empreendimento, mas agora com nova direção e novos atrativos.

A reinauguração será no inicio de novembro  e o hotel, agora administrado pelo casal Carlos e Eliane, contará com piscina, quatro lagoas para pesque e pague (tilápia, carpa e pacú), churrasqueira comunitária, passeio à cavalo e de charrete, chalés para pernoite, playground bastante elaborado, tanto para crianças pequenas quanto pré adolescentes, quadras de vôlei, futebol e basquete, além de tradicionais jogos de salão como sinuca, pebolim, tênis de mesa, etc.

Para quem desejar passar o dia e levar sua própria refeição em breve estarão ativas churrasqueiras para famílias. Já quem preferir descanso e comodidade, será oferecido um novo restaurante com buffet no fogão a lenha.

Contato pode ser feito pelo telefone 3622-0135, com Sra. Eliane.

Naturalat

A Naturalat é uma daquelas empresas que surgem do esforço de algumas pessoas, mostrando que o empreendedorismo é o caminho para o nosso desenvolvimento.

Em 2001, seis agricultores, de três famílias diferentes,  se reuniram para encontrar uma solução para o comércio do leite que produziam e criaram uma indústria de laticínios na comunidade em que viviam. Inicialmente, só industrializavam sua produção, mas aos poucos, foram recebendo outros produtores como agregados.

Hoje mais de 30 famílias tem garantia da compra de sua produção pela Naturalat, que beneficia, embala e comercializa mais de 300 mil litros de leite por mês.

Apesar de abastecerem mercados do município da Lapa e arredores, o principal cliente é o Governo do Estado do Paraná, através do Programa Leite das Crianças, onde crianças carentes recebem um litro de leite por dia, entregue em suas escolas.

Através deste programa, cerca de 10 mil crianças recebem leite diariamente, nos municípios de Curitiba, Araucária, Contenda, Lapa, Campo do Tenente, Rio Negro, Quitandinha, Mandirituba, Fazenda Rio Grande, Campo Magro, Campo Largo, Balsa Nova, Pien, Tijucas do Sul e Agudos do Sul.

Sitio Soeli

Quem frequenta a feira dos orgânicos da Lapa deve conhecer o casal Edson e Soeli Vidal. Eles são bastante conhecidos pelos salgados, pães, broas e queijos que produzem. Na propriedade rural produzem também hortaliças e frutas, mas estes apenas para consumo próprio.

Ocorre que em 2016, o sr. Edson teve a ideia de diversificar sua propriedade, e apostou em morangos.  Instalaram uma estufa de 375m2, onde cultivam 11 mil pés de morango.

Esse cultivo gera cerca de 60 kg de morango todas as semanas, que são comercializados através de parceria com a empresa Frutas Krupa, que distribui a produção em várias cidades, entre elas, Curitiba e Joinville.

Claro, quem tiver interesse de comprar morangos frescos pode entrar em contato com o casal pelo fone 9 9656-9521 e agendar uma visita ao sítio, ou então encomendar seus morangos para retirar na feira.

 

Sitio Monte Santo

Também muito conhecidos por seu trabalho na feira dos orgânicos e muito elogiados pelo trabalho em seu sitio, o casal Dirley e Flavio Lechinski fazem parte do roteiro de turismo rural pelo seu cuidado com a sustentabilidade. No sitio você encontra uma fossa ecológica, que está gerando um jardim ecológico, ainda em formação. Também existe o recolhimento da água da chuva em cisterna, e em breve o aproveitamento da energia solar. Isso tudo sem esquecer, é claro, dos cuidados agroecológicos com a produção.

Apesar de tudo isso, o que mais chama a atenção mesmo é a agroindústria, onde são produzidas conservas de pepino, abobrinha,  cebola, beterraba, pepino agridoce, hibisco (menos este ano por problemas na produção) e picles (mistura de vários vegetais).

Na mesma linha também produzem geleias de laranja, figo, morango, amora, pimenta (sob encomenda), hibisco e ameixa, além de molhos de pimenta e tomate, conserva de pimenta, e frutas cristalizadas (abobora, casca de laranja, figo e gengibre).

A produção, tanto da agroindústria quanto da horta é totalmente comercializada na feira dos orgânicos, mas para quem quiser conhecer o local ou mesmo encomendar produtos, basta entrar em contato pelo fone 9 9918-3065.