Centro de Imagem na Lapa até início de 2019

Secretário Municipal de Saúde, em entrevista à Tribuna, faz um balanço das ações de 2017 e comenta como funcionará o local onde a população terá acesso a quatro exames médicos.

Tomografia, mamografia, ecografia e raio-x. Todos esses exames, segundo a Prefeitura, poderão ser realizados, a partir de 2019, no município da Lapa. Tudo devido à conquista, junto ao Governo Estadual, de um Centro de Imagem.

“A intenção de trazer o Centro de Imagem para a Lapa existe desde antes da eleição, quando eu e o Furiati já incluímos o tema no plano de governo. Isso porque a gente sabia da alta demanda das pessoas irem a Curitiba todo dia para realizar esses exames. Para se ter uma ideia, só de tomografia, mamografia e ecografia, no ano passado, foram realizados cerca de 12.600 exames, pessoas que precisaram se deslocar para Curitiba. Isso dá em torno de 60 pessoas por dia que precisaram ir para a capital”, conta o Secretário Municipal de Saúde, Ruy Wiedmer, em entrevista à Tribuna, explicando que a conquista do Centro de Imagem para o município dará mais conforto aos pacientes da Lapa, que precisam, ainda hoje, sair às 4h da manhã retornando por volta das 5h da tarde.

Com o Centro de Imagem funcionando, não haverá todo esse transtorno, pois os exames serão agendados e o paciente só precisará ir até o local no horário definido.

O recurso para o Centro de Imagem, de quase R$ 3 milhões, veio da Secretaria de Estado da Saúde, que já está licitando os aparelhos (a expectativa é de que até março ou abril de 2018 sejam entregues ao município). Quanto ao local onde serão colocados os equipamentos, Ruy explicou que será construído em um terreno da Prefeitura, atrás da Escola David Carneiro. Assim que o Governo do Estado aprovar o projeto, será realizada a licitação pela Prefeitura da Lapa para a construção, que receberá verba do Estado para que seja realizada. A escolha do terreno se deu por estar próximo da Unidade de Pronto Atendimento (UPA).

Ainda segundo o Secretário Municipal de Saúde, a Prefeitura da Lapa terá que arcar somente com o custo operacional do Centro. “O município não está preocupado com o custo-benefício. Está preocupado com o benefício que o Centro trará para as pessoas”, afirma Ruy.

O Secretário afirmou que a vinda do Centro se deve, primeiramente, ao Prefeito Furiati que não mediu esforços para bancar o custo operacional, e, ainda, ao Deputado Luciano Ducci e ao Secretário Estadual de Saúde, Michele Caputo Neto.

A previsão é de que o Centro de Imagem seja inaugurado no final do ano de 2018, com atendimento à população já em 2019. Para o Centro haverá novas contratações, oneradas pelo Município. A previsão é de que o local atenda em torno de 1.200 pessoas por mês na Lapa.

Segundo Ruy, o município não está preocupado com o custo-benefício. Está preocupado com o benefício que o Centro trará para as pessoas.

 

BALANÇO

Na conversa com o Secretário Municipal de Saúde, também foi abordado o tema da saúde municipal, o que foi feito pela Administração no primeiro ano de gestão. Segundo Ruy, um dos destaques foram os mutirões: o da catarata, que atendeu cerca de 56 pessoas; o da cirurgia vascular, que atendeu aproximadamente 45 pessoas; e o da prótese auditiva, que acontecerá em dezembro e janeiro, e que já tem 136 pessoas cadastradas.

Outros avanços, segundo Ruy, são as três ambulâncias novas que estão chegando para a Lapa, mais um ônibus grande para 46 pessoas, aparelhos de emergência para a Maternidade e para a UPA (no valor de cerca de R$ 400 mil), o Centro de Imagem, as Unidades Básicas de Saúde (UBS) de Mato Preto (que já está em processo de licitação) e do Centro (investimentos de cerca de R$ 1,2 milhão).

Além disso, o Secretário comentou que hoje a Lapa conta com ortopedista, cardiologista e oftalmologista. “Quando iniciamos nossa gestão, havia 1.560 pessoas aguardando consulta de ortopedia. Hoje a fila está zerada”, afirma, complementando que a intenção é de em 2018 trazer para a Lapa ainda um neurologista.

Em outras comparações, Wiedmer citou o setor de transporte: nos meses de setembro, outubro e novembro de 2016, foram transportadas 4.678 pessoas; já neste ano, 2017, no mesmo período, foram transportadas 7.917 pessoas. Ruy afirma que essa diferença na oferta de transporte se deve ao aumento da frota e também devido ao apoio recebido dos poderes executivo e legislativo. “A Câmara de Vereadores, por exemplo, está repassando à Secretaria de Saúde, mensalmente, uma verba para auxiliar no custeio”, comenta.

Outro comparativo feito por Ruy refere-se às consultas especializadas: pelos dados apresentados por ele, no mês de outubro de 2016, foram realizadas 660, enquanto que em outubro de 2017 foram 1.470. Outro benefício conquistado em 2017, afirmou, foi um aparelho para consulta ginecológica, instalado no Hospital São Sebastião, e que é utilizado pela população lapeana em consultas, com médico que é pago pelo Município. “Há anos a Lapa não contava com consultas especializadas, e hoje conta com cardiologista, ortopedista, oftalmologista e em breve neurologista”, finaliza o Secretário.