Campanha lançada no Chile repercute no mundo ferroviário

A campanha recém lançada por Assad já conta com a adesão dos países vizinhos e apoio de instituições nacionais em todos os níveis e além fronteiras.

Iniciativa do ferroviarista lapeano Márcio Assad promete alavancar turismo ferroviário.

A preservação da memória ferroviária no Brasil, assunto de grande destaque no ano passado pela forte atuação do ferroviarista paranaense Márcio Assad (atualmente Diretor Municipal de Turismo da Lapa) é algo que tem chamado muito a atenção dentro e fora do país. Assad recentemente esteve, a convite, no Chile, onde, reunido presencialmente e por teleconferência, conseguiu aprovar suas proposições em relação a criação de uma instituição que congregue os países latino-americanos. Assim, visa que 2018 seja consagrado e trabalhado nas nações da região como o ano da preservação da memória ferroviária latino-americana.

A campanha recém lançada por Assad já conta com a adesão dos países vizinhos e apoio de instituições nacionais em todos os níveis e além fronteiras, como o Ferrocarriles Nacionales de México, Ferrocarril Provincial de Buenos Aires (Argentina) e Museo Ferroviário de Chascomós (Argentina).  A atuação do Museo Ferroviario de Santiago (Chile), através de seu coordenador Marco Aurélio Sandoval Ormazábal, e da Biblioteca y Arquivo da instituição, sob o comando de Alex Aguilera Quintana, é fundamental no processo de consolidação da instituição, pois, junto com Assad, trabalham a temática desde o ano de 2009, quando o feroviarista brasileiro apresentou suas propostas em Quito, no Equador. Os chilenos também foram os organizadores do Primeiro Encontro Latino Americano de Preservação Ferroviária, evento que se pretende a segunda edição para 2019, no Brasil.

Também está chamando a atenção o acolhimento caloroso que as propostas vem recebendo na América do Norte, pela divulgação que empresas e imprensa especializada estão dispensando ao assunto e abrindo espaços de mídia. “Estamos extremamente felizes com a repercussão deste trabalho que só agora vem ao grande público, mas que nós bastidores já vínhamos articulando desde 2009″, revela Assad. Ele se diz emocionado especialmente pelo acolhimento por parte da Tralee & Dingle Railway Preservation Society, da Irlanda. “Esta renomada instituição é ligada a uma ferrovia que começou a ser operada em 1891″, conta Márcio, revelando que este e os outros apoios demonstram a força do assunto em todo o mundo.

“Assim como a passagem da Maria Fumaça natalina (RUMO-ABPF) despertou o interesse de milhares de pessoas todos os dias por onde passou e trouxe um público de dimensões nunca antes visto em Piraquara e na Lapa, por exemplo, no mundo são milhões de aficionados e grande parte reunidos em associações que tratam do tema, o que nos leva a crer que em 2020 seremos levados a promover um encontro mundial”, comemora Márcio Assad.

Em março, de 7 a 11, Assad estará a convite no Uruguay, onde novas rodadas de projetos locais e regionais serão apresentados para que sejam selecionados. Entre estes os que receberão apoio preferencial, conforme suas potencialidades e viabilidades.