Como anda o esporte lapeano

Ultimamente, analisando o esporte nacional sobre o desempenho de nossos atletas, sobre o legado olímpico que não vingou, sobre os vários escândalos e denúncias que vem assombrando as instituições, como a CBF (Confederação Brasileira de Futebol), CBAT (Confederação  Brasileira de Atletismo), e outras, parei para pensar: como anda o esporte na Lapa?

Sabemos que tivemos e temos excelentes atletas em nossa cidade, em várias modalidades, como no futebol, atletismo, vôlei etc. Mas, se pensarmos bem, qual foi o motivo de muitos destes atletas não terem alcançado projeção nacional? Muitos podem pensar que seria ousadia de minha parte falar que um atleta lapeano possa alcançar projeção nacional, mas acredito que não é ousadia… O povo lapeano tem potencial para isso, tem talento de sobra, é só investir e acreditar mais nos atletas da terrinha. Quando falo em investimento, não falo só em dinheiro, mas investimento na raiz, na base. Só assim formaremos bons atletas que, com certeza, poderiam representar a Lapa nas mais diversas competições estaduais e nacionais.

Diante da crise que assombra o País, sabemos que as últimas coisas que estão sendo pensadas são esporte, saúde e educação. Mas, para evitarmos problemas com saúde e educação, o melhor remédio é investir no esporte, começar pelas crianças, incentivando e mostrando o caminho do esporte.

O esporte transforma vidas, além trazer muitos benefícios para a saúde. Tem grande papel na formação do cidadão e da sociedade, como transmissão de valores, socialização, evangelização e educação. Esses valores são extremamente necessários para o crescimento de uma criança ou de um adolescente, e a inclusão social e o respeito serão sempre colocados em primeiro lugar.

Muitos atletas lapeanos de talento começaram e pararam, mas o que os fez parar? Falta investimento, quase ninguém apoia, não se tem estrutura adequada para treinar e, com isso, muitos talentos sãos desperdiçados, jogados no ralo.

Grande exemplo de atleta e treinador foi o senhor  Gervasio Ramim, que por muito tempo no passado se dedicou a ensinar a garotada no caminho do bem. Hoje é raro ver um trabalho desses acontecer na Lapa. Nossos atletas estão cada vez mais desacreditados.

A receita para formarmos atletas, mas antes de tudo cidadãos de bem, é fácil: o melhor remédio é investir nos pequenos, fazer com que as crianças conheçam o caminho do esporte. Com isso no futuro teremos bons cidadãos, bons atletas. Precisamos melhorar nossas estruturas (Módulo Esportivo, Parque Linear, por exemplo), investir em campeonatos diversos de atletismo, futebol, vôlei, basquete, xadrez. Sabemos que não é nada fácil, mas se todos se unirem, buscarem parcerias, apoiadores para que isso aconteça, as coisas andam. Mas, enquanto pensarmos somente no objetivo indivual, nada disso vai acontecer.

Este é um desabafo de um atleta amador da Lapa.