Parabéns, Dona Eugênia: Educandário comemora 115 anos

A instituição abrigava muitas meninas sem documentação ou registro, além de muitas portadoras de necessidades especiais. (Foto Asylo São Vicente, por Guilherme Glück)

Em mais de um centenário de trabalhos, entidade vem contribuindo com a comunidade lapeana. Sua criação atendeu e ainda auxilia a comunidade e deu origem ao Colégio São José.

No dia 9 de maio a Associação das Damas de Caridade do Lar e Educandário São Vicente de Paulo completou 115 anos de trabalho.
Uma linda história, escrita por mãos e corações generosos de pessoas desprovidas de vaidades, em benefício de crianças e idosas.

O EDUCANDÁRIO
O Lar e Educandário São Vicente de Paulo é a instituição de caridade mais antiga do município. Criado em 1903, após Dona Eugênia Marques Corrêa sonhar com o local, o objetivo era ajudar as famílias afetadas pelo Cerco da Lapa.
Certa noite, enquanto dormia, Dona Eugênia viu-se construindo um local para abrigar idosos e outros necessitados no período pós-guerra. Ao acordar, decidiu colocar o sonho em prática. Como tinha influência na região, conversou com outras senhoras a respeito da ideia. Assim, em 8 de maio de 1903 fundou a Associação de Damas de Caridade São Vicente de Paulo. O sonho daquela senhora passou, então, a oferecer moradia, fé e educação para milhares de pessoas. Em 2018 completou 115 anos de atividades.
Depois de fundada a entidade, as damas adquiriram uma residência antiga, na Rua Barão do Rio Branco, ao lado de onde hoje se encontra o Educandário. No início o imóvel apresentava problemas graves no piso e no telhado. Os primeiros passos da entidade não foram fáceis. Mas, com o auxílio da comunidade, que ajudava com doações, a sede pode ser melhorada. Três anos após, em 1906, Dona Eugênia pediu auxílio ao pároco da época, o Monsenhor Lamartine. Ela pedia que as irmãs do convento de São José Chamberry ajudassem no trabalho social. Elas aceitaram o desafio, mas com a condição de que fosse criado um colégio onde as irmãs pudessem estudar. Dona Eugênio lutou para que isso ocorresse, dando origem ao Colégio São José.
Assim, as freiras de São José se estabeleceram na Lapa e ajudaram a cuidar do colégio e do Educandário. Com auxílio do governo, o Lar adquiriu imóveis ao redor da sede e se tornou referência em trabalho social no Estado.
Nas décadas seguintes o asilo deu lugar a um orfanato. Atendia apenas meninas, vindas de várias regiões do Paraná. Em épocas como na década de 1970 a instituição abrigava mais de 100 meninas, muitas sem documentação ou registro, além de muitas portadoras de necessidades especiais.
Por conta do Estatuto da Criança e Adolescente, o Educandário fechou o orfanado, passando a funcionar como escola e voltando a atender idosos, mas sempre coordenado pelas Damas de Caridade e pelas irmãs de São José.
Os antigos alojamentos que abrigaram as órfãs se transformaram em salas de aula. Atualmente a entidade atende 140 crianças na educação infantil, 30 crianças no contra turno escolar e 20 senhoras no Lar.
As crianças e idosas que estudam e estão abrigadas no Educandário têm à sua disposição atividades como aulas de música e artesanato, além de usufruírem de estrutura com quadra poliesportiva, brinquedoteca e parquinho. Agregado a tudo isso, todos recebem muito amor e carinho das professoras cedidas pela Prefeitura, das Damas de Caridade e das freiras de São José.
Que São Vicente de Paulo, padroeiro da entidade, interceda as melhores bênçãos a todos que, direta ou indiretamente, levam avante tão importante obra social para a comunidade!
Parabéns entidade! Parabéns comunidade que honra a memória e iniciativa de Dona Eugênia e tantos outros que, posteriormente, levaram adiante seu sonho!

Trabalho conjunto da comunidade, através da Associação das Damas de Caridade e freiras de São José, deu vida ao sonho de Dona Eugênia. (Foto Asylo São Vicente, por Guilherme Glück)