A Lapa tem cerveja?! Tem, sim, senhor!

 

Com produção artesanal, voltada para o consumo próprio, Eraldo Pfeiffer conta um pouco como é produzir o líquido para a própria degustação.

A Lapa possui várias atrações, seja em relação à cultura, seja em relação à gastronomia. Muitos, no entanto, não sabem que nestas terras também há talentos produzindo saborosas cervejas artesanais. Eles buscam a melhor combinação dos ingredientes, visando agradar o paladar de quem degusta o apreciado líquido.

Um dos que se dedicam à produção é o Engenheiro Mecânico Eraldo Pfeiffer. Ele se diz cervejeiro artesanal e conta que, por hobby, buscou conhecimento para produzir a bebida. A produção não é comercializada, sendo destinada ao próprio consumo, da família e dos amigos. Ele conta que, como bom alemão, produz sua própria cerveja! Assim, criou a Weizenbier Pfeiffer!

Eraldo conta que iniciou a fabricação por curiosidade, na década de 1970. “O processo de fabricação, os insumos necessários eram muito difíceis de se conseguir, o que havia era um malte básico, mas não existia um fermento cervejeiro. O lúpulo era muito rudimentar, sem qualidade alguma. Era bastante difícil”, conta. Mas, a teimosia prevaleceu!

E os tempos mudaram! Segundo Eraldo, hoje toda pessoa interessada pode, com um pouco de conhecimento e com equipamentos simples, desde que apropriados, fabricar uma cerveja com o mínimo de qualidade.

O cervejeiro destaca que existem empresas especializadas em insumos para fabricar cerveja artesanal boa. “Os ingredientes são todos importados e são ofertados à vontade no mercado. O que precisa é dedicação e estudo para produzir uma cerveja razoável. Agora, para ser um técnico em cerveja, é preciso ter alguma especialização”, afirma.

Há aproximadamente seis anos Eraldo buscou se especializar. Iniciou usando as panelas e, conforme foi aumentando a quantidade da produção em litros, buscou equipamentos mais apropriados. “Como a família é grande e todos são tomadores de cerveja, quem faz 20 litros faz 40, quem faz 40 litros faz 100. E isso já exigiu alguns investimentos em material, fermentadores, em panelas com misturador, medidor de temperatura… Pois pode-se produzir diversos tipos de cerveja com os mesmos insumos, com mais espuma, com sabores, simplesmente mudando a temperatura da fermentação ou com as rampas de temperatura no cozimento de malte”, afirma.

A temperatura do cozimento do malte e a temperatura da fermentação proporcionam obter diferentes tipos de cerveja. Eraldo explica que todo o processo leva 21 dias para que a bebida possa ser guardada em barris ou em garrafas.

“Conhecer os ingredientes, a função de cada um dentro do processo de fabricação da cerveja, é fundamental para garantir melhorar ainda mais o resultado final”, destaca, comentando que a cerveja artesanal tem o diferencial de ser mais encorpada, com mais sabor.

O cervejeiro explica que não pretende expandir sua produção para comercializar. A estrutura que possui é de uma mini cervejaria, o que lhe dá condições de  produzir qualquer tipo de cerveja. Mas, sua intenção é produzir a bebida apenas por hobby, compartilhando com amigos e familiares a cerveja Pfeiffer!


Apesar de produzir apenas para o próprio consumo, Eraldo se dedicou a criar um rótulo próprio para sua iguaria!