Quando eu morrer, pra onde vou?

 

Questionamento chama a atenção tanto pelo mistério da morte quanto pelo espaço disponível para realizar o sepultamento em cemitérios municipais. Quando você ou um ente querido se for, haverá lugar para sepultá-lo?

 A partir da morte de um familiar ou amigo ou até a nossa mesmo, quem fica tem a responsabilidade de organizar o velório, as homenagens e o sepultamento, momento este definitivo de despedida de quem partiu desta vida.

Muitas pessoas têm por hábito manifestar o que desejam para si no momento de seu próprio velório e sepultamento. É importante que, na medida do possível, sejam atendidas as preferências do falecido. Mas, quase na maioria das vezes, são os familiares que tomam as decisões de como será o velório, escolhem a sepultura e o caixão mais adequado para sepultar ou cremar o corpo daquele ente querido.

O costume de sepultar os mortos ocorre há muitos séculos no mundo. O sepultamento consiste em colocar o corpo em uma sepultura e não em uma cova. A sepultura pode ser tanto o caixão quanto a urna cinerária, no caso das cremações. Vale lembrar que enterrar um corpo em terreno privado e não em um cemitério, é crime de ocultação de cadáver e no Brasil quem não possui um espaço privado no cemitério é enterrado nas chamadas “quadras gerais”. Depois de três anos o corpo passa por exumação e os restos são direcionados a um ossário.

NA LAPA

O Cemitério Municipal da Lapa, situado na Rua Barão do Rio Branco, que surgiu antes mesmo do episódio do Cerco da Lapa, não oferece na atualidade espaço para novas concessões de uso de túmulos. Situação que preocupa, pois ao menos uma vez na semana se registra um óbito ou mais na cidade. E então surgem questionamentos: Onde os futuros falecidos serão sepultados? Como os familiares devem proceder nesta situação?

Segundo o Secretário de Administração da Prefeitura da Lapa, Clésio Thiago Cardoso de Jesus, a cada quatro anos são realizadas vistorias para verificar a existência de sepulturas em abandono no Cemitério Municipal. A partir da constatação, tais jazigos são revertidos ao município, isso mediado por todo um trâmite administrativo. Após essa reversão, os jazigos são disponibilizados a novos cessionários. Segundo o Secretário de Administração, mediante protocolos, existe hoje uma fila de espera para os novos cessionários interessados. “Quando a família já tem uma sepultura fica mais fácil, mas quando não tem os sepultamentos são direcionados para o cemitério Pastor Wiedmer”, explica, ressaltando ainda que a Prefeitura não vende terrenos nos cemitérios municipais, o que ocorre é a cessão de uso do espaço.

O Cemitério Pastor Wiedmer, situado no bairro Barcelona, foi criado no ano de 1979. O espaço está sendo ocupado conforme a demanda, ou seja, os jazigos são de pronto uso, conforme a necessidade. O Cemitério, porém, está sendo usado há quase 40 anos e pode também vir a ficar lotado. Com o tempo algumas ações precisam ser pensadas para que de alguma forma o cemitério tenha vagas para novos sepultamentos.

PARA SABER MAIS

No caso de falecimento de algum ente querido, os familiares ou amigos devem procurar informações e instruções diretamente na Capela Mortuária Municipal, situada na Rua Amintas de Barros, ao lado do Cemitério Municipal. Na capela também os interessados recebem informações sobre espaço, vagas e taxas referentes ao sepultamento em jazidos, gavetas prontas simples, lotes de terrenos, exumações e outros procedimentos.

As funerárias, por muitas vezes, também contribuem com orientações aos familiares enlutados.

NOVOS CEMITÉRIOS

A Administração do município da Lapa analisa a criação de um novo cemitério, pois não há como aumentar o espaço nos que já existem. Porém, o Secretário de Administração destaca a grande burocracia para realizar tal obra. Uma das soluções, então, seria a construção de cemitérios particulares.

A questão que mais preocupa está relacionada aos danos ao meio ambiente, pois estudos de natureza ambiental mostram que nos locais que abrigam cemitérios estão disponíveis materiais orgânicos e inorgânicos com grande potencial contaminante. Estes resíduos podem estar associados a um número ainda muito grande de patógenos, sendo eles organismos causadores de doenças que podem levar as pessoas à morte, caso sejam contaminadas. Opções como a cremação acenam para um risco menor de impacto ambiental, quando se leva em conta a higiene e a falta de espaço físico. No entanto o alto custo torna o procedimento inacessível para uma grande parcela da população, o que faz necessário criar estratégias que possibilitem garantir vagas e espaços adequados nos cemitérios, para que a pessoa falecida possa ter um sepultamento digno.

O Cemitério Pastor Wiedmer, no bairro Barcelona, dipõe de vagas para sepultamento. Porém, ja existe a preocupação da falta de espaço num futuro próximo