Killer Jack é campeã do Festival “Never Surrender”

A banda venceu todas as eliminatórias e como prêmio irão tocar no Festival Crossroads no dia Mundial do Rock.

A banda lapeana Killer Jack, participou na última terça-feira, 02 de julho, em Curitiba-PR da grande final do festival “Never Surrender”. O evento aconteceu no bar Crossroads e reuniu centenas de expectadores que esperavam ansiosos para saber quem iria tocar no Festival do Dia Mundial de Rock que acontece no dia 13 de julho. Em uma final digna de filme, a noite foi de muita emoção para as bandas e para o público presente.

A FINAL

Mais de 100 bandas locais se inscreveram em busca de uma oportunidade para tocar no Festival Crossroads do Dia Mundial do Rock. A banda lapeana que é sucesso na região, participou nos últimos meses das eliminatórias do Never Surrender e com muita dedicação chegaram até a final.

A disputa da grande final do festival foi entre as bandas Killer Jack, Sex’N’Roll, New Holly e Crowning Animals. As bandas tiveram 40 minutos para mostrar suas músicas e buscar melhorias das audições anteriores. Foi um dia histórico para o rock lapeano, tocando músicas autorais e mostrando muito talento, a banda Killer Jack se sagrou-se a grande campeã do Festival Never Surrender junto com a banda New Holly, de Curitiba, em uma disputa acirradíssima escolhidas pelo público e pelo júri técnico.

 “O público lapeano presente fez a gente subir no palco confortáveis de transmitir energia e sentir a energia deles ali também. Como a gente sempre diz, esperamos poder retribuir na música todo esse carinho e essa força que eles todos deram pra gente, porque na real são eles que fizeram tudo isso ser incrível demais e também de sermos campeões” – Dizem os músicos.

O bar ainda guardou uma surpresa para o final e anunciou que além das duas bandas vencedoras, todas as bandas finalistas iriam tocar no Festival Crossroads no Dia Mundial do Rock, divididas entre os palcos do evento, o que animou ainda mais todas as bandas e o público presente.

AGRADECIMENTO

A Killer Jack agradece aos seus apoiadores, em especial ao Joacir Gonsalves e a Gonsalves Contabilidade, pela ajuda no transporte de todo o público lapeano que foram prestigiar a final, que foi essencial.

Ao Emerson Silva, da Peixinhus Sofia Panfletagens pelo transporte da banda nas três eliminatórias, aos patrocinadores Ousadia Modas, Academia Corpo em Ação e a Tribuna Regional pela divulgação.

Agradece também a Pianostur Turismo e toda a equipe, que foram os responsáveis por levar o público lapeano nas três eliminatórias, público esse que consagrou a banda.

Os músicos ainda agradecem ao Caio “Ozzy” Bianchini, que foi chamado dois antes do show para ensaiar e tocar todas as músicas no evento.

Ocorreu alguns imprevistos e ligamos pro Caio na sexta falando pra ele da situação e que ele ia ter que tocar com a gente e só temos a agradecer dele ter aceitado e enfrentado essa jornada com a gente. A gente deve ter emagrecido uns cinco quilos com tanto ensaio que fizemos nesses três dias, mas valeu cada suor (risos) ”. – Completam os artistas.

A banda volta para Curitiba, no próximo dia 13 de julho, dessa vez não mais para uma classificatória, mas para subir no palco do principal festival de rock de Curitiba junto com bandas como Matanza Inc., Motorocker e DeadFish.

A PREMIAÇÃO

O Festival Crossroads, realizado pelo bar Crossroads, e pela Planeta Brasil Entretenimento, é presença do mais alto calibre no calendário de shows de Rock em Curitiba. Unindo bandas de som autoral e também covers, o evento engloba todas as vertentes do estilo. A cada ano a festa fica maior, e agora em 2019 o evento acontece, assim como no ano passado, na Usina 5, local repleto de espaço e muitos palcos para acomodar tantas atrações. Em 2018, a edição reuniu mais de oito mil pessoas e contou com mais de 30 atrações musicais, de renome nacional e local, em cinco palcos especiais, resultando em mais de 14 horas de música. Com data marcada para o dia 13 de julho, o festival promete muitas novidades para este ano.

KILLER JACK

A banda lapeana Killer Jack surgiu em 2011, tendo em seus arranjos grandes influências do grunge e do rock alternativo. Os caras também se uniram pela amizade, além da afinidade sonora, “com o intuito de falar aquilo que sentiam e pensavam“. As influências vão além do Rock, segundo eles, pois passam também pela MPB e Funk, o que dá uma amplitude maior ao trabalho. A busca é sempre pela evolução, em “nos expressar, inovar, crescer, evoluir e principalmente tentar nos conectar com as pessoas que se identifiquem com a gente“, explicam.

“Foi todo esse público que classificou a banda e todos esses são os verdadeiros vencedores.”- Dizem a banda

 

Em uma final digna de filme, a noite foi de muita emoção para a banda Killer Jack.

 

Para surpresa de todos no final do Festival, foi anunciado que as quatro bandas finalistas tocarão no festival do dia Mundial do Rock.