Setembro Amarelo

Setembro é o mês em que se realiza a campanha de conscientização sobre a prevenção ao suicídio, sendo dia 10 deste mês o dia mundial de prevenção ao suicídio. Essa campanha conhecida como “Setembro Amarelo” foi criada no Brasil em 2015 pelo centro de valorização a vida (CVV), Conselho Federal de Medicina (CFM) e Associação Brasileira de psiquiatria (ABP).

Essa é uma campanha de extrema importância, uma vez que, o suicídio é um problema de saúde pública e que, muitas vezes pode ser evitado. Os dados da Organização Mundial de Saúde (OMS) nos mostram que a cada quarenta segundos uma pessoa morre por suicídio em algum lugar do nosso planeta, e isso significa que em um ano mais de oitocentas mil pessoas perdem sua vida dessa forma. As causas são variadas, e segundo a CVV, especialistas identificam transtornos mentais na maior parte das pessoas que se suicidam ou que tentam fazê-lo. Dentre os principais transtornos observados destacam-se a depressão na forma simples, a depressão na forma bipolar, a dependência química e a esquizofrenia.

Não podemos nos esquecer de que, muitas vezes, o suicídio acontece de maneira impulsiva diante de algumas situações muito impactantes e inesperadas da vida, como término de relacionamentos, perdas de pessoas queridas, abusos, crises financeiras… O suicídio também é comum em pessoas que sofrem discriminação, como refugiados, imigrantes, gays, lésbicas, transgêneros e intersexuais.

Quando entendermos que o suicídio é uma realidade ficará mais claro que é fundamental conversarmos a respeito. Os suicídios podem ser evitados desde que tenhamos conhecimento sobre os seus sintomas, suas causas e formas de evita-lo. Devemos ser capazes de perceber os sinais de alerta que uma pessoa emite, como por exemplo, estar desinteressada das atividades diárias de que tanto gosta não ter mais a mesma produtividade na escola ou trabalho, isolamento social (amigos e parentes), descuidando-se da aparência, falando com frequência assuntos relacionados à morte. Esses são sinais de que a pessoa precisa de ajuda. Ao percebermos isso o primeiro passo é conversar com essa pessoa, é muito importante deixar que a pessoa fale, sem emitir julgamentos ou opiniões sobre o assunto. Deixar bem claro que sua vontade é apenas ajudar. O que devemos lembrar sempre é que não devemos medir a dor alheia pelas nossas experiências pessoais, e entender que o que não nos afeta não necessariamente não causa dor e sofrimento no outro. É importante incentivar a pessoa que está apresentando sinais de que pretende cometer suicídio a procurar ajuda especializada, em casos graves é essencial que a família tenha conhecimento da situação, bem como, amigos próximos para que a pessoa seja acolhida.

O suicídio é o ato de acabar com a vida, é um acontecimento complexo. A pessoa não tem como objetivo a morte, e sim o fim do sofrimento pelo qual está passando, e a única forma que enxerga no momento para chegar a isso é através da morte. Deus é misericordioso, justo e bom, logo, nunca iria deixar que seus filhos sofressem alguma injustiça que eles mesmos tenham atraído para si. É comum do ser humano reclamar e colocar a culpa em Deus sobre tudo o que acontece em sua vida. Os suicidas, segundo Chico Xavier, são seres sofredores, e nenhuns de nós têm capacidade para julgar. Sabemos que o espiritismo nos mostra que tudo tem uma causa, motivo e razão de acontecer, mas isso não pode de maneira alguma, nos tornar seres de coração duro, ou seja, pessoas que buscam constantemente a explicação das provas e expiações. O suicídio é um mal que deve ser combatido pelo homem. Essa rigidez mental que resolve pela solução trágica, é doença complexa. Conscientizar as criaturas a respeito das consequências do ato no além-túmulo, das dores que causam aos familiares, e do ultraje às leis divinas, é método salutar para diminuir a incidência dessa solução insolúvel. Dialogar com bondade e com paciência com as pessoas que tem propensão ao suicídio, sugerir-lhe dar-se um pouco mais de tempo, enquanto o problema altera sua configuração, estimular a valorização pessoal, acender uma luz no túnel do seu desespero. Chico nos esclarece ainda, que a única causa que é válida, se tratando de espíritos que cometeram suicídio, é vibrarmos pelo seu melhor. É orar e emanar constantemente energias positivas, pois a força de uma oração é tão poderosa que o espírito o recebe com tanto amor e esperança que é gratificante para ambos, quem realiza e quem recebe. Vamos então juntos elevar nosso pensamento a Cristo, e pedir para que os espíritos de luz levem amor, paz e equilíbrio para todos os espíritos que já cometeram suicídio em alguma de suas encarnações.