Joacir Gonsalves: União política é o principal

Joacir Gonsalves, atual vice-prefeito e secretário de Desenvolvimento Econômico, Cultura e Turismo, foi o vereador mais votado na eleição de 1989 e assumiu o cargo de secretário municipal na Gestão Sérgio Leoni. Eleito prefeito no ano de 1992 com o apoio de Sérgio, Joacir quebrou as correntes e foi o único prefeito da Lapa a eleger seu sucessor, no caso Miguel Batista, no ano de 1996.

TRIBUNA REGIONAL: Como foi a sua volta ao cenário político na eleição passada?

JOACIR GONSALVES: Minha volta política surpreendeu até a mim mesmo, pois estava totalmente voltado às minhas atividades particulares. Mas é evidente que a política deixou saudades, pelos amigos que fiz, pela realização como cidadão e pelas obras que pude executar, quando fui prefeito. Sempre lembro com orgulho e satisfação de ver que o ônibus que circulam na cidade,  o Aterro Sanitário, o projeto de flores nas ruas, os clubes de Mães notadamente no interior, a inauguração do CAIC com seu grande projeto social, que foi o “Formando Cidadãos”, que tirou das ruas dezenas crianças que antes perambulavam pela cidade, colocando-as na escola,  a estruturação do Parque de Exposições, o projeto Primeiro Emprego, onde o jovem entrava no mercado de trabalho e a partir daí, seguia sua atividade profissional. Muitos daquela época, estão exercendo funções importantes, inclusive na Prefeitura, a distribuição de cobertores a cada inverno… isso só para citar algumas. Foram obras que aconteceram na minha administração e que continuam a beneficiar nossa comunidade. Isso é muito bom!

Recebi o convite para integrar a equipe do Prefeito Furiati com muita alegria e com muita honra. Fomos vencedores, graças a Deus, mantivemos a união até hoje e a mesma vontade de trabalhar pela Lapa. Minha volta política me trouxe trabalho, mas muitas realizações. Estou satisfeito em ter voltado.

TRIBUNA REGIONAL: Temos visto muitos nomes despontando para concorrer a prefeito, dentro do seu grupo político. Como estão sendo as conversas neste sentido?

JOACIR GONSALVES: É muito natural que neste processo que antecede as eleições a cada dia surjam nomes novos. Alguns consistentes. Outros só mesmo a título de sondagem. Mas à medida que as eleições se aproximarem, vamos “peneirando” essas indicações, para vermos quais os nomes que realmente tenham peso político e sejam de agrado do grupo e que também tenham potencial para vencer.

Por enquanto, são apenas conversas para sondar quem pode mesmo concorrer, com chances reais de vitória. O importante é que o grupo se mantenha unido, que trabalhe em torno de nomes com este potencial e que pense na Lapa. Vaidades não levarão a nada. É preciso consenso.

TRIBUNA REGIONAL: Ouvimos falar de estremecimentos nas relações entre os principais líderes políticos da gestão Furiati. Como avalia essas discordâncias?

JOACIR GONSALVES: É da própria política a divergência de opiniões. Mas o bom senso tem que prevalecer. Opiniões contrárias e a favor, todo mundo tem. Na política então, fica mais evidente, mas não creio que o bom senso não leve ao entendimento e à aceitação. O prefeito Paulo Furiati é um líder, isso é inegável. Tenho muito respeito por ele e sei o quanto ele deseja que este grupo se fortaleça. Se existir discordância, ela será superada, com certeza.

TRIBUNA REGIONAL: Joacir Gonsalves, Ruy da Farmácia, Arthur Vidal e Fénelon Moreira são os principais cotados à disputa eleitoral de 2020, dentro do seu grupo político. Como você analisa as possibilidades de coligação e parcerias nesta disputa?

JOACIR GONSALVES: Nenhum desses nomes e nem outros que surgirem, se sustentarão se não fizerem acordos e apoios para viabilizarem a candidatura. Isso é fato em qualquer partido, em qualquer eleição. Sozinho, é praticamente impossível sair vencedor. Cada candidato terá que buscar em sua base e em outras bases, forças aliadas. Isso é da política, portanto as coligações são absolutamente normais, desde que não firam a ética e os ideais de cada partido.

TRIBUNA REGIONAL: Outros grupos estão se organizando para a eleição. Qual a possibilidade de entendimento e coligação com Miguel Batista ou Leila Klenk?

JOACIR GONSALVES: Tanto Leila quanto Miguel são forças políticas em nosso município. Foram prefeitos e sabem que uma campanha não é brincadeira e envolve muita coisa.  Coligações são viáveis quando os partidos possuem objetivos comuns, somam forças, tem os mesmos ideais.  Caso contrário pode ocorrer uma fragmentação da coligação, prejudicando toda a administração.

TRIBUNA REGIONAL: Como possível candidato a prefeito, o que o eleitor pode esperar de um mandato “Joacir Gonsalves”?

JOACIR GONSALVES: Estamos colocando a carroça à frente dos bois…. Nem meu nome e nem uma convenção sobre isso foi feita. Mas se o apoio político me levar à campanha, tenha certeza de que a população lapeana terá um Joacir Gonsalves mais experiente e mais capaz para exercer um cargo público. A vida e o trabalho ensinam muito. Tenho experiência e ideias em projetos que poderão ser implantados com total sucesso e o que gostaria de realizar. Hoje o panorama é diferente, mas tenha certeza: nada me intimida.

Mas reafirmo que ainda é muito prematura qualquer plataforma de governo. Vamos respeitar este processo que começa a partir do ano que vem, vamos ouvir nossas lideranças e principalmente, vamos nos unir, se quisermos exercer uma política de alto nível.