A voz e o silêncio

Aumenta volumosamente o barulho no mundo. Não há respeito pelo silêncio. As pessoas perderam o tom de equilíbrio nas conversas, nos momentos de alegria, nas comunicações amigas.

As músicas deixam de ser harmônicas para se apresentarem ruidosas, sem nenhum sentido, expressando os conflitos e as desordens emocionais dos seus autores. Cada qual, por isso mesmo, impõe o volume da sua voz, dos ruídos do lar, das comunicações e divertimentos através dos rádios e das televisões. Há um predomínio da violência em tudo, nos sentimentos, nas conversas, nas atividades do dia a dia. Há muito ruído no mundo, atormentando as pessoas…

A voz é instrumento delicado e de alta importância na existência humana.

Jesus viveu cercado sempre pelas massas. Compadeceu-Se delas, mas não Se deixou abater por sua insânia e necessidade. Logo depois de as atender, recolhia-Se ao silêncio, a fim de renovar pelo amor do Pai. Procedia dessa forma, a fim de que o cansaço, que surge no barulho, não lhe retirasse a ternura das palavras e das ações.

Necessitamos de silêncio interior, para melhores reflexões. Devemos aprender a calar, a nos harmonizarmos e a não perdermos a seriedade na multidão falante. Os grandes sábios sempre souberam silenciar.

Silenciar em oração perante as necessidades do outro. Silenciar em respeito ao sofrimento alheio. Silenciar em consideração às ideias diferentes. Silenciar a vingança diante dos males recebidos.

É no mundo do silêncio que construímos as palavras edificantes que sairão de nossa boca. É no mundo do silêncio que embalamos nossos amores, que pensamos em melhorar, reformar e transformar.

Assim, saibamos dosar o silêncio em nossas vidas, evitando que o barulho e a loucura se instalem. Saibamos usar a voz com cuidado, a cada pronunciar de palavra. A bela música, assim como a vida, é feita de som, mas também de silêncio.

Pense nisso! Seja feliz!

Luiz Benedito

Luiz Benedito


Entre em contato com Luiz Benedito: beneditoluiz@yahoo.com.br