Depressão

depressão atinge atualmente uma grande parcela da humanidade e muitas vezes não é diagnosticado ou percebido a tempo de aliviar os sintomas numa fase mais leve da doença.

No ponto de vista ocidental analisa-se o estado depressivo caracterizado por uma lentificação e diminuição em quase todos os aspectos das emoções e do comportamento.  A severidade da doença varia amplamente .Na Visão oriental todas as personalidades estão susceptíveis ao estado depressivo, porém a baixa estima e carência do elemento TERRA pode exacerbar os sinais e sintomas.

O humor é descrito pela pessoa como triste, deprimido, desesperançado, desencorajado. A expressão facial e corporal mostra-se reprimida. O paciente pode ter queixas somáticas, como dores corporais. Alguns referem aumento da irritabilidade (raiva persistente, tendência para responder a eventos com ataques de ira ou culpando os outros; ou um sentimento exagerado de frustração por questões menores). A perda de interesse ou prazer está quase sempre presente, pelo menos em algum grau. A pessoa apresenta menor interesse por passatempos, tem menos prazer com qualquer atividade anteriormente considerada agradável.

O apetite geralmente está reduzido, muitos se forçam a comer. Pode também haver um aumento do apetite. A alteração do sono mais freqüente é a insônia. Os pacientes também podem apresentar hipersônia noturna ou diurna. As alterações psicomotoras incluem a agitação (incapacidade de ficar sentado quieto, ficar andando sem parar, agitar as mãos, puxar ou esfregar a pele, roupas ou objetos) ou o retardo psicomotor (discurso, pensamento ou movimentos corporais lentificados, fala com volume diminuído, fala menos). As tarefas leves parecem exigir um esforço substancial. Pode haver diminuição na eficiência para realizar tarefas. Pode incluir avaliações negativas e irrealistas do próprio valor, sentimento de culpa e ruminações acerca de pequenos fracassos do passado. Essas pessoas geralmente interpretam mal eventos triviais ou neutros do cotidiano, como evidências de defeitos pessoais, e têm um senso exagerado de responsabilidade pelas adversidades. Esses sentimentos podem assumir proporções delirantes. Dificuldades para pensar, concentrar-se ou tomar decisões. As pessoas podem distrair- se facilmente e ter dificuldade de memória. Pensamentos recorrentes sobre morte, ideação suicida, planos ou tentativas de suicídio: Esses pensamentos variam desde uma crença de que seria melhor estar morto até pensamentos transitórios, porém recorrentes sobre cometer suicídio ou planos específicos para se matar. Pela medicina ocidental a medicação se faz em torno de antidepressivos, a acupuntura tenta identificar a raiz do problema e procurar qual o desequilíbrio que gerou toda desarmonia. Incompatibilidade de personalidades, oscilação do Yin e Yang a todo momento, ficar presa no passado, traumas e frustrações, angústias e ressentimentos, ou até mesmo a tristeza sem causa.

Cuide-se! Permita-se! Faça acupuntura!

Cristina Abramczuk.

Vidaclin   999246444 / 3622 2387

Cristina Abramczuk

Cristina Abramczuk


Entre em contato com Cristina Abramczuk: Cristina@tribunalapa.com