Descanso e trabalho

A ausência ou insuficiência de fome e sede da Palavra de Deus faz com que o ser humano nunca desfrute da ação soberana da Paternidade de Deus Pai em sua vida e seu existir. E, por consequência isto as leva a querer receber, porque assim o creem, por ‘direito meritório’, dádivas que Cristo outorga e dá, somente, às pessoas que são integrantes da comunhão de crentes e salvas. E, como há carência de ensino e instrução – e, nem sempre o ser humano religioso se deixa instruir, também isto é verdade – elas querem ter e receber o que é posse da comunhão das pessoas que tem o Evangelho e nEle creem, sem comunhão de fé com Deus. Fato é que até a sua oração e vida são abomináveis, tendo em vista que não resultam no existir que se caracteriza como ‘um Cristo para o semelhante’. Aliás, vale referir que a crendice e o mal têm seu nascedouro no fato de que não atentamos para Deus e Seus mandamentos, na folga.

Deus descansou no sétimo dia e deixou de todas as Suas obras por Ele criadas (Gn 2.3). Ele, também, ordenou que se deveria folgar no sétimo dia e deixar dos nossos trabalhos, com os quais nos ocupamos durante seis dias. O dia de descanso deve ser um dia de repouso, um ‘feriado santo’. Nele, o prioritário e essencial dever ser: ouvir, estudar e ler, de boa vontade, o que gera a basilar fé teocêntrica. Caso contrário, seria melhor que nem houvesse domingo. Aliás, se o domingo é, meramente, uma data na qual as pessoas dão ‘plenas asas’ à incredulidade e à descrença, cousa que não fariam nos dias de trabalho, então, melhor seria que nem houvesse guarda do dia de descanso. Dito de modo ainda mais claro: se em virtude do domingo uma pessoa é perdida, seria, sobremaneira melhor, para ela, que não houvesse dia de descanso. Por conseguinte, vale ponderar: será que não são os vícios perniciosos das pessoas descrentes e indiferentes à Vontade de Deus que tornam uma cidade, estado e país pobre e exaurido? O que a maioria das pessoas faz no domingo agrada a Deus? A prioridade delas é, de fato, se ocupar com a doutrina de Cristo? Será que coaduna se chamar cristão e ser ladrão? Será que é consequente se dizer filho/a de Deus e cobiçar a casa, os bens, a herança, o marido, a esposa, os/as empregados/as do semelhante?

O repouso ou paralização das obras tem, ao modo de Deus, dois sentidos: o físico e o espiritual. A folga, repouso ou paralização física significa que deixemos de lado o nosso ofício e trabalho a fim de nos reunir na igreja para receber a Ceia do SENHOR, ouvir a pregação da Palavra de Deus e orar, em concórdia. Só há repouso físico verdadeiro se nós nos exercitamos no estudo, leitura e audição da Palavra de Deus, de boa vontade. Se o nosso espírito, mente e coração estão revestidos de Cristo, então, de fato, aprendemos a repousar de forma tal que traz benefício ao nosso ser.

Isto posto frisamos que se todas as pessoas fossem perfeitas e conhecessem o Evangelho, poderíamos trabalhar todos os dias, se quiséssemos, ou fazer folga, se pudéssemos, diariamente. Pois a folga não é necessária nem está ordenada senão, exclusivamente, para aprender a Palavra de Deus e orar da forma e do modo que agrada ao SENHOR. Como a vida é bonita quando fazemos o certo ao modo do Certo.

Pastor Airton Hermann Loeve

Pastor Airton Hermann Loeve

Pastor Airton Hermann Loeve – Igreja Evangélica da Confissão Luterana no Brasil (IECLB) – Lapa/PR.
Entre em contato com Pastor Airton Hermann Loeve: pastor.air.ton@hotmail.com