NÃO FURTE

O maior tesouro em nossa vida deve ser o Reino de Deus e a Sua justiça. Razão pela qual o ser humano, cheio de boas obras de caridade, milagres e feliz no SENHOR, não fia o coração e o apego aos bens materiais como se fossem o seu Deus. DEle, com exclusividade, deve espera toda bênção e ventura corporal e espiritual, quer tenha bens materiais ou não.

Jó declara que não fiou e nem permitiu que o seu coração se apegasse aos bens materiais – Jó 31.24. E o salmista escreve, qual deve ser a postura do coração em relação à riqueza material: “Não confieis naquilo que extorquis, nem vos vanglorieis na rapina; se as vossas riquezas prosperam, não ponhais nelas o coração” – Sl 62.10. Jesus Cristo ensina em Mateus 6.31-33: “Portanto, não vos inquieteis, dizendo: Que comeremos? Que beberemos? Ou: Com que nos vestiremos? Porque os gentios é que procuram todas estas coisas; pois vosso Pai celeste sabe que necessitais de todas elas; buscai, pois, em primeiro lugar, o seu reino e a sua justiça, e todas estas coisas vos serão acrescentadas.”

Quando os servos e as servas do SENHOR assim ensinam e confessam, logo logo, não falta quem conclui e diz: “Sim, vai nessa, não te preocupes e vê se uma galinha assada te virá voando boca adentro”. E, então, eles e elas precisam, novamente, tomar a palavra e afirmar: o assunto que ensinamos ao modo da Palavra de Deus não é que ninguém deve trabalhar e nem sequer procurar o seu sustento. E, sim, que não devemos nos preocupar, nem ser cobiçosos e nem ainda desesperar de que não teremos o suficiente quando formos justos e honestos. Cada um de nós não deve viver como se quisesse ser o único e mais especial ser humano da face da terra enquanto que os/as ‘demais que se lasquem’ – como reza o adágio popular, não raro.

Ninguém, por preguiça ou conivência, deveria preferir viver no estado e na condição de mendigo/a. Igualmente. Quem existe sem ter uma oportunidade de ganhar o pão de cada dia, com honestidade. Porque depois que Adão e Eva caíram em pecado, estamos condenados ao trabalho, como consequência do fato de que decaíram da fé para a incredulidade e dela para a desobediência concreta à Palavra de Deus. Deus diz em Gênesis 3.19: “No suor do teu rosto comerás o teu pão.” E Jó 5.7: “Como o pássaro para voar, assim o ser humano nasceu para trabalhar.” Ora, os pássaros voam sem preocupação e cobiça pelo ar; assim nós, também, devemos/deveríamos trabalhar sem preocupação e cobiça. Caso, porém, você se preocupa e cobiça que uma galinha assada lhe venha voando boca adentro, então, fica com esta preocupação e cobiça e vê se cumpre o mandamento de Deus: não furtarás.

A obra depreendida do sétimo Mandamento é ensinada pela fé no conteúdo do que Deus fala. Pois quando o nosso coração, mente e espírito contam com o favor divino e nele se fiam, como poderá tal pessoa ser avara e preocupada com comida, bebida, vestes colocadas acima do prioritário: o Reino de Deus e Sua justiça? Ela tem certeza de que Deus vai lhe cuidar nas suas necessidades físicas e espirituais. Por isso mesmo não se apega a dinheiro e bens temporais, mas faz uso de tudo o que Deus lhe concede, de graça. E, com gratidão em seu ser, não furta. A natureza humana, o mundo e do diabo são oponentes diretos da vida grata e da partilha. Sobretudo, na perspectiva das boas obras depreendidas do sétimo mandamento de Deus, urge, com desvelo, trabalhar com ética. E, fazer o que Deus ordena que façamos.

Pastor Airton Hermann Loeve

Pastor Airton Hermann Loeve

Pastor Airton Hermann Loeve – Igreja Evangélica da Confissão Luterana no Brasil (IECLB) – Lapa/PR.
Entre em contato com Pastor Airton Hermann Loeve: pastor.air.ton@hotmail.com