O ódio como combustível

Há alguns dias comecei a observar as notícias que chegavam até mim pelo facebook, e percebi que já havia caído na famosa “bolha”. Para quem não sabe, o site tem um sistema que avalia os conteúdos que você curte ou compartilha, e vai traçando um padrão. Com esse padrão traçado, seleciona apenas aquelas que acha que você tem interesse, acreditando que assim fará com que o usuário tenha uma experiência mais agradável. O efeito porém é que se tem a impressão que todo mundo concorda com você e pensa como você. É o efeito bolha, pois é como se você estivesse em uma bolha só com coisas que lhe agradam, sem poder perceber o que acontece fora dela.
Comecei então a visitar perfis de pessoas que realmente pensam diferente de mim, e curti algumas postagens aleatórias, e finalmente, comecei a receber notícias diferentes. Nisso veio a minha grande surpresa – a quantidade de ódio destilada. Ainda não sei se isso é a realidade, ou se cai em outra bolha, talvez um pouco maior, mas mesmo assim assusta.
Acusações dos mais variados tipos, ameaças físicas, ameaças de morte, ofensas e outras coisas que acredito que não contribuem em nada para um debate, estavam escancaradas.
Talvez devido á bolha que eu estava, acabei percebendo que o grupo mais raivoso era o que defende a inocência do ex presidente e atual presidiário Lula. Mas vi também o pessoal do Bolsonaro atacando. E ainda, o pessoal que costuma ser do “deixa disso”, também atacando descaradamente.
A quantidade de notícias falsas ou distorcidas também é enorme. Nesse ponto realmente fiquei preocupado com o efeito das “Fake News”, mas elas estão sendo usadas por todos os lados do espectro político. Parece que o nosso objetivo como nação, assim que entramos nesta rede social, deixou de ser crescer junto com os outros, e sim humilhar e ridicularizar o outro.
Aqui sempre tentei falar de vários assuntos tentando abordar a origem de seus temas – tentando até mesmo uma abordagem lógica do assunto. Claro que sempre existe uma tendenciosidade, mas tentei ser o mais centrado possível. No facebook a impressão é que toda e qualquer discussão séria deixa de ser possível. Exemplo é dizer que não vota na Marina por achar ela feia, e ridicularizá-la por isso. Ok. Não sou partidário dela, mas usar isso como motivo é incrivelmente estúpido. E tem gente nessa linha. Muita gente.
A alguns meses fui bloqueado por uma pessoa que vivia postando fake news, defendendo Lula. E eu a cada postagem, rebatia mostrando como eram erradas as afirmações. Não entendi o motivo de ter sido bloqueado, mas acho que agora entendo. Na bolha desta pessoa, todos defendiam Lula, e eu era o único discordante. Acabei sendo “o chato”. Hoje ela está em um grupo onde todos, sem exceção, concordam com ela. E claro, se todo mundo concorda comigo, que é esse estúpido ai que discorda? Nisto, as opiniões se acirram.
Depois entrei no Youtube, e percebi que as sugestões de vídeos que apareciam para mim também seguiam o sistema de bolha. Lá ainda não sei como escapar, mas isso acaba reafirmando a sensação de que sua opinião é realmente a certa. Mas veja: não estou dizendo que no youtube os vídeos são falsos, apenas que o site seleciona apenas aqueles que concordam com você.
Com isso tudo, a impressão que tenho é que o principal combustível que estamos tendo – principalmente nestas eleições – é o ódio. Será que é um país de ódio que queremos?

Dartagnan Gorniski

Dartagnan Gorniski

*Dartagnan Gorniski é empresário e professor, e nas horas vagas dá palpites sobre tudo o que vê pela frente.
Entre em contato com Dartagnan Gorniski: floramonteclaro@gmail.com