Serão fartos

A promessa segura e certa de Jesus Cristo dirigida às pessoas bem-aventuradas que têm fome e sede de justiça atrai e estimula intrepidez. Porquanto Ele disse: “serão fartos” – Mt 5.6b. Gente que tem fome e sede de justiça não se engaja e nem serve em vão. Cristo, ainda que já lhe recompense aqui, irá reunir tal ‘pequenino rebanho’ no Novo Céu e na Nova Terra. Toda a pessoa bem-aventurada reconhece o dedicado e a permanente insistência na justiça de necessária, embora, na ação concreta, in loco, tal gente, injustiçada, por vezes, até, atribulada, constate que a justiça, em verdade, não se evidencia como gostaria que se fizesse ser. O que importa mesmo é ser, ao modo de Jesus Cristo, uma pessoa pregadora piedosa que arrebata ‘almas da goela do diabo’ e as leva para o céu. Ou uma pessoa, crente e fiel, investida de autoridade, na Sociedade, que ajude países e povos na perspectiva da justiça. As pessoas alcançadas darão testemunho disso e as enaltecerão perante o mundo inteiro, certamente.
Difícil fica a situação em relação às pessoas que são falsa gente, com ‘fome e sede de justiça’ aparente. Elas por causa de sua ‘falsa santidade’ evitam o mundo, correm ou se escondem de aborrecimentos, desgosto e empenho engajado em prol da justiça. Tal gente não pode se consolar com esta promessa, a não ser com autoengano. Quem não quer se preocupar com a ausência de justiça no mundo não é nem sequer será pessoa bem-aventurada. Quem sequer se lembra, ajuda ou aconselha as pessoas com ensino, instrução, admoestação, repressão e melhoramento com vistas à justiça, ou, que nem ao menos, com orações, súplicas e intercessões dirigidas a Deus condena, rejeita e denuncia a injustiça, não pode, com verdade, se auto identificar como pessoa que teve ou tem fome e sede de justiça. Ela, aliás, já foi farta pelos ‘frutos e desdobramentos da injustiça’. Quem tem nojo de se empenhar pela justiça não pense que tem benefícios junto a Deus Pai. Um exemplo disto temos em Lucas 18.11.
A gente bem-aventurada que têm fome e sede de justiça, porque será farta, denuncia, condena e rejeita quem cujo espírito e prática é infame, arrogante, indiferente à lei de Cristo, o amor, bem como à fé. Porquanto se divertem, alegram e ‘celebram’ o fato de que as demais pessoas não são santas, pias e justas como elas. Que deslavado autoengano. Ninguém logra Deus. Razão pela qual o que importa é ter complacência e compaixão da pessoa próxima e ser um mordomo do que é justo e veraz. Quem despreza ‘todo mundo’, calunia, julga e condena, e ajuíza que tudo o que a pessoa próxima faz em prol da justiça como ‘algo que catinga e é imundície’, exceto o que ela mesma faz não pense que pode se alegrar com a promessa de Jesus Cristo presente nesta bem-aventurança. Tal gente não vai servir e nem sequer admoesta e ajuda uma pessoa pecadora quebrantada. Bem pelo contrário, foge de tal gente como do ‘diabo’. Por isso mesmo ouvem e terão de ouvir de Jesus Cristo: “ai de vós, que estais fartos e saciados, por que vireis a ter fome” – Lc 6.25. Terrível é ter fome e sede reais, eternamente.
Se você não ajudou ou nem sequer serve a pessoa próxima na perspectiva da justiça, podendo fazê-lo, convém se arrepender e mudar a sua prática de fé ao modo da presente bem-aventurança, hoje e já. Muitas obras boas, que ajudem e contribuam na perspectiva da vida correta, justa, ética, se fazem necessário no convívio com as pessoas. Ajude, onde você vive e está, a promover toda sorte de ofícios e estados, quer seja no privado ou no público, permeados de justiça. Porquanto a injustiça nunca foi algo bom: ela prejudica e faz sofrer.

Pastor Airton Hermann Loeve

Pastor Airton Hermann Loeve

Pastor Airton Hermann Loeve – Igreja Evangélica da Confissão Luterana no Brasil (IECLB) – Lapa/PR.
Entre em contato com Pastor Airton Hermann Loeve: pastor.air.ton@hotmail.com