Rádio Legendária conversa com feirantes da Lapa

Leopoldina e Carmem são feirantes voluntárias.

Em comemoração ao Dia do Feirante, Jornal Cidade Legendária realizou entrevista com profissionais do município.

O feirante é considerado um profissional importante para o movimento da economia, tanto regional como nacional. Nas feiras livres se comercializam produtos variados, de todos os segmentos possíveis. Há feira de alimentos, artesanatos, agricultura familiar, móveis, eletrônicos, em todos os lugares marcando presença diariamente. Na cidade da Lapa não é diferente.

Sabendo da importância da atividade para a economia e por conta da comemoração do Dia do Feirante no dia 25 de agosto, o Programa Jornal Cidade Legendária, da AM 960, foi conhecer um pouco do trabalho de algumas feirantes que atuam expondo e vendendo seus produtos em barracas montadas na Praça General Carneiro.

Leopoldina Vidal é uma delas. Há quase oito meses em todas as quartas-feiras instala junto com suas colegas a barraca de produtos artesanais próprios e também peças produzidas por voluntários no Clube de Mães do CAIC. Ela ressalta que o é feito por elas é manual e artesanal. “Tem pano de prato, roupas, tudo feito na mão. A gente que faz, somos em três pessoas, e no CAIC tem aproximadamente doze pessoas atuantes”, comenta.

Carmem é colega de Leopoldina e conta que gosta muito de fazer crochê. “Aprendi faz dois anos. Faço toalhinha para bebê, sapatinho, boina, tudo o que for crochê. Vendi bastante este ano, graças a Deus. Nossa barraca é muito prestigiada, a gente só tem a agradecer, pois tudo o que fazemos vemos que está dando lucro. É o retorno do que a gente aprendeu”, destacou. O trabalho é voluntário e os produtos ficam expostos na praça para serem comercializados.

Já Maria Bauser tem uma história de longa data com a feira. Há 21 anos tem barraca na Praça General Carneiro. Começou vendendo roupa de bebê, mas a variedade de produtos aumentou e hoje vende panos de prato de modelos variados, com bordado inglês por exemplo, também gorros de lã adulto e infantil, bolsas, sapatinhos, macacão, chapelzinho, casaquinhos para bebê… Tudo feito por ela mesma, sozinha, para vender todos os dias na feira.

Os produtos de lã chamam a atenção de diversos clientes. Para o verão Dona Maria conta que haverá novidades. É um trabalho feito com muito amor, disse ela. “Amo fazer artesanato! Diminui o stress, é gostoso… Cada peça que faço, olho e me orgulho. Amo fazer isso”, conta.

Dona Maria trabalha há mais de 20 anos como feirante na praça General Carneiro.

A equipe do Jornal Cidade Legendária deseja os parabéns e muito sucesso a todos os profissionais feirantes dos diversos ramos que atuam na cidade da Lapa.

A DATA

O dia do feirante é uma homenagem a primeira feira livre que aconteceu Brasil, em 25 de agosto de 1914, em São Paulo. Hoje os direitos e deveres das feiras livres no país são regidos pela Lei nº 492, de 1984.